Funcionários dizem que Hospital Estadual de Botucatu pode fechar a Maternidade e a Clínica Médica. Em nota, HC nega fechamento e diz que terá regime de recesso no final do ano

hospital-estadual-botucatu

Há alguns dias tem circulado a informação que o Hospital Estadual Botucatu, administrado pelo Hospital das Clínicas de Botucatu, estaria passando por dificuldades financeiras e poderia fechar a Maternidade, a Clínica Médica e Cirúrgica.

De acordo com os funcionários que fizeram a denúncia, já estão ocorrendo reuniões entre os diretores e médicos sobre a atual situação.

Jornal Leia Notícias procurou a Assessoria de Imprensa do HC de Botucatu, questionando sobre a veracidade da informação.

(Atualizado às 20h20)

Após a publicação da reportagem no Leia Notícias, a Assessoria de Imprensa se manifestou, enviando por e-mail uma nota à imprensa com a resposta aos questionamentos feitos pelo Leia Notícias para todos os veículos de comunicação.

Na nota, em nome do Superintendente do HC, Dr. André Balbi, é informado que “não procede a informação de que o hospital e a maternidade serão fechados definitivamente a partir de janeiro de 2021”. O Hospital ainda informa que está “buscando alternativas para garantir que o HEBo amplie o volume de atendimentos e, de forma permanente, mantenha os padrões de excelência na assistência prestada aos pacientes, adaptado às condições econômicas adversas resultantes da retração econômica provocada pela pandemia”.

Abaixo a integra da nota do Hospital das Clínicas:

NOTA À IMPRENSA

Em função de notícias veiculadas sobre o possível fechamento do Hospital Estadual Botucatu (HEBo), – particularmente de sua maternidade -, a Superintendência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) esclarece:

O Hospital Estadual tem se mantido como prioridade para as gestões da autarquia HCFMB, por se tratar de um equipamento estratégico, que associa qualidade e eficiência na resposta à demanda por atendimento de saúde em nível secundário.

Tradicionalmente, ao final de cada ano, o HEBo trabalha em regime de recesso. Neste período, o movimento do hospital diminui consideravelmente, a partir da retração das atividades não essenciais. Do mesmo modo, apesar do histórico ainda muito recente, os registros referentes a 2019 apontam para uma baixa taxa de ocupação da maternidade nesta época do ano.

Na última quarta-feira (28), em reunião da direção do hospital com membros do corpo clínico, foram anunciadas as datas do recesso de fim de ano. As unidades de internação e o centro cirúrgico terão atendimento interrompido no período de 14 de dezembro de 2020 a 01 de fevereiro de 2021. As cirurgias ambulatoriais estarão suspensas de 14 de dezembro de 2020 a 11 de janeiro de 2021. O Ambulatório de Oncologia funcionará de forma contínua, não havendo atendimento apenas nos feriados de Natal e Ano Novo.

É de conhecimento público que desde março de 2020, o enfrentamento à pandemia do novo coronavirus tem gerado um grande custo financeiro, tanto para o Complexo HCFMB como para a Secretaria de Estado da Saúde. Entretanto, os motivos para adoção do recesso não se relacionam com a necessidade de aporte de mais verbas para o HC, tão pouco se configura como prenúncio do fechamento de qualquer serviço ou unidade. Trata-se de uma medida administrativa rotineira, que visa a manutenção do atendimento de qualidade prestado pelo hospital.

Portanto, não procede a informação de que o hospital e a maternidade serão fechados definitivamente a partir de janeiro de 2021. Estamos, sim, buscando alternativas para garantir que o HEBo amplie o volume de atendimentos e, de forma permanente, mantenha os padrões de excelência na assistência prestada aos pacientes, adaptado às condições econômicas adversas resultantes da retração econômica provocada pela pandemia.

Fonte: Leia Notícias