Restaurantes e academias terão que ser fechados. Comércio poderá funcionar por apenas 4 horas

rua-amando-1

Dez dias após permitir a flexibilização das atividades econômicas, Botucatu poderá ter que adotar medidas mais rígidas para o combate ao contágio da covid-19. Isso porque a região onde o município está inserido foi rebaixada nas etapas que o governo do estado adotou para a retomada da economia.

A região de Bauru, a qual Botucatu está inserida devido ao Departamento Regional de Saúde VI (DRS-VI), fazia parte da chamada Fase 3, onde diversas atividades eram permitidas como o comércio tido como não essencial. Com o rebaixamento, os municípios que integram a divisão passam a integrar a Fase 2, ou “controle” pelo governo paulista.

Pela fase 2, setores como shopping centers,galerias e estabelecimentos similares deverão operar com 20% da capacidade, horário reduzido (4 horas), proibição das praças de alimentação, adoção de protocolos setoriais específicos. Já o comércio deverá ter a capacidade limitada a 20%, horário reduzido (4 horas seguidas), além de adoção de protocolos padrões e setoriais. Mesma medida se aplica a empresas prestadoras de serviços.

Já bares, restaurantes, lanchonetes, salões de beleza e barbearias, academias de esportes em qualquer modalidade não terão permissão alguma de funcionamento, segundo previsto no Plano São Paulo. Indústria e construção civil continuam com funcionamento normal em todo o estado

Na fase 3, onde Bauru e Botucatu se enquadravam anteriormente, as medidas de funcionamento eram mais abrangentes e mais atividades poderiam retomar suas atividades, como as de alimentação fora do lar. Quando do anúncio da flexibilização estadual, ocorreu em 29 de maio a emissão do decreto 12.005, do prefeito Mário Pardini, referendando as medidas.

O rebaixamento da DRS-VI ocorreu devido a uma série de critérios como a oferta de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que, em Bauru chegou a 100%. Já Botucatu possui ocupação de 37% dos 16 leitos de UTI na rede pública, com capacidade de ampliação para 30. No entanto, o próprio governo paulista cogita transferir pacientes bauruenses e de outras localidades para atendimento no Hospital das Clínicas de Botucatu (HCFMB).

Outro fator também analisado foi o índice de isolamento social, sendo que a região de Bauru tem se mantido abaixo de 50%. Botucatu, por exemplo, chegou a ter mínima de 39%- sendo classificado como o terceiro pior do Estado em 5 de junho- chegando a 41% nesta segunda-feira, dia 8. Nos últimos dias era frequente o registro de festas e eventos com aglomeração de pessoas. Neste fim de semana, a Guarda Civil Municipal chegou a encerrar dois bailes funks clandestinos que receberam mais de 600 pessoas. 

O município também tem realizado testagem na população. Desde abril foram 2.323 exames na população, sendo que 2.207 apontaram para negativa de covid-19 e 292 botucatuenses com a doença. No último boletim epidemiológico, a Cidade acumulava 384 casos positivos de coronavírus, com nove mortes e 225 pessoas recuperadas.

Fonte: Leia Noticias